Ayrton & Rubens – dois professores, duas cartilhas.

Com Ayrton Senna, aprendi a reconhecer o virtuosismo do gênio.
Com Rubens Barrichello, aprendo a valorizar o homem comum.
Com Ayrton Senna, aprendi a perseguir a perfeição.
Com Rubens Barrichello, aprendo a perseguir um sonho.
Com Ayrton Senna, aprendi que alguns trazem talentos desde tempos remotos.
Com Rubens Barrichello, aprendo que muitos começaram a amealhar há menos tempo.
Com Ayrton Senna, aprendi que os fins justificam os meios.
Com Rubens Barrichello, aprendo que os meios são tão importantes quanto os fins.
Com Ayrton Senna, aprendi que o segundo é o primeiro dos perdedores.
Com Rubens Barrichello, aprendo que o décimo pode ser tão glorioso quanto o primeiro.
Com Ayrton Senna, aprendi a frase “pessoa certa, no lugar certo, na hora certa”.
Com Rubens Barrichello, aprendo sobre “a pessoa que se ajusta ao lugar e ao tempo”
Com Ayrton Senna, aprendi que a alegria pode vir rápida e, muitas vezes, previsível.
Com Rubens Barrichello, aprendo que algumas alegrias demoram, mas chegam com gosto especial.
Com Ayrton Senna, aprendi que um espaço tem que ser aproveitado a qualquer custo.
Com Rubens Barrichello, aprendo que certos espaços têm um custo muito alto.
Com Ayrton Senna, aprendi que quando não temos filhos somos mais livres para agir sem medirmos muito as consequências.
Com Rubens Barrichello, aprendo que um pai sempre será exemplo em tudo o que faz.
Com Ayrton Senna, aprendi a explosão, o impulso, a ousadia.
Com Rubens Barrichello, aprendo a cadência, a batalha cotidiana, a espera.
Com Ayrton Senna, aprendi a junção de duas grandes forças: o carro e o homem.
Com Rubens Barrichello, aprendo a junção de duas grandezas: a sabedoria e o tempo.
Com Ayrton Senna, aprendi a fazer muito com muito.
Com Rubens Barrichello, aprendo a fazer muito com menos.
Com Ayrton Senna, aprendi o sabor do reconhecimento pelo trabalho realizado.
Com Rubens Barrichello, aprendo que o trabalho nunca termina.
Com Ayrton Senna, aprendi que gênios quase não erram.
Com Rubens Barrichello, aprendo que errar ainda é humano.
Com Ayrton Senna, aprendi a me defender, deixar para trás e conquistar.
Com Rubens Barrichello, aprendo que deixar passar é permitir o triunfo do momento escapar, para a glória interior conquistar.
Com Ayrton Senna, aprendi a ver o tangível sublimar.
Com Rubens Barrichello, aprendo a perceber o intangível.
Com Ayrton Senna, aprendi como colocar um país em evidência.
Com Rubens Barrichello, aprendo a evidenciar o melhor de um país.
 
Obrigado, Senna, por tudo. Sua ausência será sempre sentida entre nós.
Muito obrigado, Barrichello! Sua presença é sentida por nós.
 
Não deixe de acessar o post “Mulher de rabo-de-cavalo” para concorrer a 01 livro tempo.com – A comunicação esquecida em tempos de Internet.Siga no Twitter!

Sobre João Viégas

Consultor e professor de Pós-graduação e MBA em Marketing e Comunicação, autor e editor do livro 'tempo.com - A comunicação esquecida em tempos de Internet', articulista da revista Moda Brasil Magazine, palestrante em comunicação e professor de Língua Inglesa.
Esse post foi publicado em Comportamento, Cozinha do autor., Esportes e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Ayrton & Rubens – dois professores, duas cartilhas.

  1. Rogerio disse:

    Show de bola Jão!

    Curtir

  2. Heloisa V. Coutinho disse:

    Sensacional ! Adorei, de verdade!
    Eu sempre fui fã do Senna e em outros tempos já critiquei muito o Barrichello. Aprendi que a crítica vazia não leva a nada; que há razões que só com a maturidade conseguimos perceber e acabamos formando uma opinião simplista e equivocada das coisas.
    Confesso que nunca tinha olhado o Barrichello com estes olhos! Muito obrigada pela oportunidade de ver os fatos por um outro ponto de vista.
    Parabéns!

    Curtir

    • Que bom que gostou, Heloisa, e que bom que lhe ajudou a vê-lo com outros olhos. Encontrar o lado bom em tudo que existe é mesmo um exercício constante que precisamos fazer, já que todos nós ainda somos pequenos aprendizes. Um abraço e obrigado!

      Curtir

  3. Filipe Coutinho disse:

    Genial!

    Curtir

  4. Pedro Henrique disse:

    Aprendi que, observar com o olhos do outro sempre abre mais observações!
    Obrigado Professor

    Curtir

    • Obrigado, Pedro. O outro é sempre um valioso instrumento pra gente perceber as várias faces da realidade das coisas, e, assim, a gente vai se posicionando melhor no mundo. Grande abraço!

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s