15 Grandes Discursos no Oscar

Em um ano de recessão nos Estados Unidos, contrariamente ao movimento das coisas, com o custo aumentado de 1,5 para aproximadamente 1,7 milhões de dólares (2,89 milhões de reais) cada 30 segundos de espaço publicitário durante a entrega dos Oscars, com visibilidade para cerca de 1 bilhão de telespectadores, segundo a Academia, este ano, o Oscar teve discursos pouco inspirados e pouco inspiradores. O apresentador Billy Crystal estava abaixo de suas performances anteriores, estava visivelmente menos empolgado, tendo sido aquela a sua nona participação como apresentador, depois de uma controvertida renúncia de última hora por parte de Eddie Murphy, o primeiro eleito para a função em 2012. Uma pena, porque a produção do evento até que se esforçou bastante para dar ritmo e entretenimento ao público, e conseguiu em certos momentos, mas faltaram os grandes discursos dos ganhadores dos Oscars, que trazem emoção e significado ao prêmio, através de uma mensagem especial. Faltaram também as boas piadas, o bom texto de standup comedy, uma coisa que Steve Martin fez brilhantemente em 2001 e que depois repetiu ao lado de Alec Baldwin em 2009, quando dividiram a função de apresentadores. Piadas diretas sobre os atores sempre divertem muito, mesmo quando às vezes se tornam verdadeiros pombos-sem-asas.

Para quebrar o sentimento de “Então é isso? Acabou?” no telespectador que acompanhou a cerimônia de ontem, aqui vão alguns vídeos de artistas que fizeram valer esse espaço, que ilustra bem o que se entende por “tempo é dinheiro”, mas dentro do próprio show. Não ha dúvida que dá para perceber a emoção e o reconhecimento do ator pelos próprios colegas.

Forest Whitaker , por The Last King of Scotland (O Último Rei da Escócia)

Sandra Bullock , por The Blind Side (Um Sonho Possível) 

Cuba Gooding Jr., por Jerry Maguire (Jerry Maguire – A Grande Virada)

Tom Hanks, por Forrest Gump (Forrest Gump) 

Denzel Washington, por Training Day (Dia de Treinamento)

Sean Penn, por Mystic River (Sobre Meninos e Lobos) 

Sidney Poitier, Oscar Honorário

Roberto Benini, por La Vita è Bella (A Vida é Bela) 

Hilary Swank, por Million Dollar Baby (A Garota de Ouro)

Kate Winslet, por The Reader (O Leitor) 

Natalie Portman, por Black Swan (Cisne Negro) 

Halle Barry, por Monster’s Ball (A Última Ceia)

Robins Williams, por Good Will Hunting (Gênio Indomável) 

Julia Roberts, por Erin Brockovich (Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento)

Russel Crowe, por Gladiator (Gladiador) 

Sobre João Viégas

Consultor e professor de Pós-graduação e MBA em Marketing e Comunicação, autor e editor do livro 'tempo.com - A comunicação esquecida em tempos de Internet', articulista da revista Moda Brasil Magazine, palestrante em comunicação e professor de Língua Inglesa.
Esse post foi publicado em Cinema, Entretenimento, Midia e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s